DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .

Ir em baixo

Botão em Curso DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .

Mensagem por CÉLIA MARIA CAYRES em Ter 03 Set 2013, 16:08

Boa tarde amigos do Universo dos Canários !

A doença MUDA FRANCESA em periquitos o que significa ?

CÉLIA 
CÉLIA MARIA CAYRES
CÉLIA MARIA CAYRES
IN MEMORIAM

DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .  11101010
Feminino BRASIL
Mensagens : 618
Pontos : 714
Idade : 54
CIDADE/CITY : São Paulo
ESTADO/PROVÍNCIA : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Botão em Curso Re: DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .

Mensagem por MARTÍN em Ter 03 Set 2013, 16:27

Olá Celia, não crio esta especie mas tenho um texto que descreve e ira ajudar a entender sua pergunta.


Muda Francesa


A muda francesa é uma doença vírica. O sintoma mais evidente é a perda das penas da cauda e das penas das asas (excepto as das guias) em periquitos jovens poucos dias ou semanas depois de saírem do ninho. Alguns periquitos chegam a perder toda a plumagem que lhes cobre o corpo. Outros só perdem algumas da cauda e/ou das asas, afectando desde logo a sua capacidade de voo.

O vírus responsável pela doença é um “polyomavirus”,  chamado"budgerigar fledgling disease virus" (BFDV). Ataca a aves pertencentes à família dos psitácideos (papagaios e demais bicos curvo, à qual pertence o periquito), mas também a passeriformes e aves de rapina. O contagio produz-se a través do pó das penas, o conteúdo do estômago e dos excrementos, bem como de mãe para filho.

O contagio de um periquito infectado ás suas crias é praticamente seguro, entre dois periquitos adultos bastante provável, embora neste caso não se evidencia o sintoma mais evidente, a perda das penas.

A doença apresenta duas formas, a crónica e a aguda. A aguda afecta as crias que ainda se encontram dentro do ninho, com idade de aproximadamente 20 dias. As crias sofrem de falta de apetite, não digerem a comida que têm no papo, sofrem diarreias, hemorragias visíveis através da pele, perda de peso, tremores e paralisias das extremidades. Em poucos dias morre entre 80 - 100 % das crias. Algumas não mostram sintomas antes de morrer.

Se as crias se infectam depois da sua segunda semana de vida ou tem anti-corpos iram sofrer da forma crónica: perdem as penas da cauda e/ou as das asas assim que as mesmas tenham acabado de lhes nascerem, depois voltam a crescer embora de forma mais lenta que em crias saudáveis bem como o desenvolvimento da restante plumagem o qual será mais lento. A margem de morte nesta forma da doença ronda os 20 % das crias. Uma vez adultos pode ser que a plumagem volte a nascer passado uma ou duas mudas mas não é de estranhar que o periquito fique sem as penas (da cauda e das asas) para o resto da sua vida. Em qualquer caso, será sem margem para dúvidas um portador do vírus que irá contagiar a outros periquitos e aves de outras espécies a doença. A doença em algumas outras espécies de psitacídeos e mais seria e pode levar à morte também de exemplares adultos.

Por vezes um periquito adulto se infecta normalmente não perde a plumagem (mas há casos que sim). O periquito parece saudável, normalmente o seu comportamento é normal,

Um periquito doente excreta o vírus com os seus excrementos, o conteúdo do estômago/bucho, o pó das penas... sobretudo em épocas de stress aumenta esta excreção. Por tanto, a época de criação é especialmente perigosa e um contágio as crias recém-nascidas é praticamente inevitável.

A única forma de actuar perante a aparição desta doença em grandes grupos de periquitos é de interromper imediatamente a criação e só voltar a por ninhos só passados uns 5 a 6 meses. Neste período de tempo os periquitos infectados criam anti-corpos á doença que logo passará ás suas crias através do vitelo dos seus ovos, protegendo-os sobre todo da forma aguda. Mas mesmo assim ainda podem aparecer juvenis com a forma crónica, que perdem a sua plumagem. Na minha opinião esta solução não é a mais correcta pois acabaria por não erradicar a doença de uma vez por todas (mas era a que eu fazia, pois temos de dar a palma à palmatória, qual é o criador que se desfaz dos seus animais depois de lhe darem, trabalho é certo, mas muito prazer e alegria e histórias que irá sempre lembrar.

As vezes pode aparecer um sintoma que eu julgo ser da “muda francesa”, que aconteceu com um periquito (macho) já adulto de um amigo meu, onde as pontas das asas, da cauda e das assas se não me falha a memória, começaram a “enrolar”. Após uma procura incessante para descobrir as causas, consequências e possível tratamento aplicamos o seguinte tratamento: aplicámos o AVI-MUDA (o nome é esse mas não me lembro de que marca é, e seguimos as indicações normais de uso) e depois aplicámos COMPLEXO B ZOON (Vitaminas do Complexo B), para fortalecer o pássaro. Como a ave era adulta o resultado depois disto tudo foi: o pássaro perdeu as penas afectadas que depois voltaram a crescer, embora uma ou duas ainda tenham ficado um pouco enrolada na ponta, apesar disso está saudável e das criações que fez nenhumas das crias apareceu com esses sintomas.

Mas eu acho que o seu caso é diferente, e eu recomendo que separe as aves que apresentam os sintomas (mesmo que tenha de sacrificar crias novas) das que se apresentam saudáveis e comece um tratamento a TODOS os periquitos que possui com o “ MOULD MASTER” da AVIZOON (Anti fúngico polivalente) Contra o desenvolvimento de fungos e bolores em geral (mesmo na germinação de sementes*), micoses externas e internas, demonstrando alguma eficácia na "muda francesa" dos periquitos.

* A dissolução do medicamento numa pequena quantidade de água que as sementes sejam capazes de absorver, para facilidade de cálculo sabe-se que a capacidade de absorção das sementes se situa em média nos 15% do seu próprio peso. Sendo assim a agua medicamentada segundo as doses recomendadas é colocada em contacto com as sementes à razão de 150ml por cada quilo de sementes, as sementes incham absorvendo a solução, seguidamente é aconselhável secá-las sem calor, bastando espalhá-las numa camada fina exposta ao ar. Depois de seca é dar-lhes essas sementes como é normal nos comedouros.


Fonte: Fernando Curado




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Antes de iniciar um tópico ou começar sua participação em nosso fórum, pedimos que leia:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Veja os [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.];
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Como Postar[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.];
 
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
 

MARTÍN
MARTÍN
Administrador
Administrador

DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .  11101010
Masculino BRASIL
Mensagens : 3294
Pontos : 5003
Idade : 41
CLUBE : KC 286 - SORB
CIDADE/CITY : S. J. do Rio Preto
ESTADO/PROVÍNCIA : São Paulo

https://universodoscanario.wixsite.com/criadourouniverso/inicio https://www.facebook.com/criadourouniverso.oficial https://twitter.com/udoscanarios https://pinterest.com/universocanario/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Botão em Curso Re: DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .

Mensagem por CÉLIA MARIA CAYRES em Ter 03 Set 2013, 16:38

Martín,

Obrigada, tenho dois periquitos (fêmeas), e preciso ampliar os meus conhecimentos, notei que estão em muda de penas.

CÉLIA
CÉLIA MARIA CAYRES
CÉLIA MARIA CAYRES
IN MEMORIAM

DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .  11101010
Feminino BRASIL
Mensagens : 618
Pontos : 714
Idade : 54
CIDADE/CITY : São Paulo
ESTADO/PROVÍNCIA : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Botão em Curso Re: DOENÇAS QUE OCORREM EM PERIQUITOS : MUDA FRANCESA .

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum