DOENÇAS/SINTOMAS E MEDICAMENTOS

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Botão em Curso DOENÇAS/SINTOMAS E MEDICAMENTOS

Mensagem por UNIVERSO DOS CANÁRIOS em Ter 16 Jul 2013, 09:44

Introdução

Os canários, como qualquer ser vivo, estão expostos a doenças; no entanto, se forem bem
tratados não são especialmente sensíveis a elas. Geralmente as doenças levam mais tempo a evoluir do
que a curar. Os canários mais velhos e os muito jovens são os que estão mais expostos a doenças na altura
da mudança das penas. Mais do que em qualquer outro período; deverão evitar-se as correntes de ar e
mudanças bruscas de temperatura. Devem manter-se de preferência a uma temperatura mais baixa e
uniforme. Alguns pássaros podem vir a falecer por ataque cardíaco, por obesidade, por stress e por grande
quantidade de aves num mesmo viveiro.

O pássaro perde a sua vivacidade, fica muito quieto, como que inchado, com as penas abertas
e os olhos sem brilho. Também uma gordura ou magreza excessivas, o abdômen muito encolhido ou
distendido, as penas do pescoço sujas ou as narinas a supurar são sintomas certos de doença. Um pássaro
doente assenta sempre nas duas pernas quando dorme, enquanto um pássaro saudável apenas dorme
sobre uma. Se um pássaro estiver a dormir sobre as duas pernas, pode considerar-se como um primeiro
aviso pois trata-se de um sintoma que aparece sempre antes de os outros se manifestarem. Na prática, é
muito difícil dizer com segurança qual a doença de que o pássaro sofre.

Os pássaros doentes devem ser isolados imediatamente. As gaiolas devem ser lavadas e
desinfetadas (de preferência com álcool). Os sintomas de cerca de 30 doenças diferentes são mais ou
menos os mesmos, tornando-se assim difícil a sua definição. O tratamento terá portanto de ser geral. Um
pássaro doente deverá ter tratamento imediato, mesmo que apenas se notem sintomas insignificantes. O
ataque rápido à doença pode muitas vezes salvar a sua vida, que em muitos casos 24 horas depois estaria
perdida.

Um remédio universal contra as doenças dos pássaros é o CALOR. O pássaro doente deve ser
imediatamente colocado numa gaiola de madeira, pequena, com uma placa de vidro na parte da frente. A
gaiola pode ser aquecida, por exemplo, utilizando uma lâmpada ou uma resistência elétrica. Uma
temperatura de 30/35 graus Celcius será a indicada nos primeiros 3 dias, baixando-se depois gradualmente.

O calor e um preparado antibiótico - Aureomicina ou Terramicina - são em muitos casos a cura mais fácil.
Põe-se na água de beber cerca de 1 cápsula de 50 mg de um destes antibióticos para 1/2 litro de água.
Repete-se este tratamento durante três dias seguidos, voltando a repetir-se passados dois
dias, se não houver melhoras. Os antibióticos também podem ser utilizados para combater doenças
contagiosas. Os pássaros não deverão ter outra água para beber enquanto estiverem sob tratamento. Os
que estão sujeitos a tratamento antibiótico deverão, nesse período, ter um suplemento de vitaminas
(encontrado em casas especializadas), dado que os antibióticos destroem a flora bacteriológica dos
intestinos.


ÍNDICE DAS PRINCIPAIS DOENÇAS


Ácaros das penas (piolho)
Coccidiose
Hepatite
Stress
Ácaros vermelhos
Coriza
Paratifose
Tifo
Acaríase respiratória
Crônica
Parasitoses
Toxoplasmose
Aguda
Diarréia
Pipoca das patas
Varíola
Asma
Enterite
Prisão de ventre
Bronquite
Fraturas
Suor das fêmeas


ÁCAROS DAS PENAS


Causas: Parasita Syrongophilus bicectinata.

É normal a ave ter alguns piolhos brancos/amarelados, que não são de forma alguma visíveis, pois são
aqueles residentes naturais, que inclusive são benéficos para os canários, pois removem determinadas
bactérias da pele das aves. Mas isto é em pequena quantidade, nem damos quase por ver o canário a
"coçar-se". O problema é que quando chegamos a ver a olho nu parasitas a percorrer o corpo das nossas
aves, é porque o criador é desleixado com a higiene dos seus canários.

Sintomas: As penas apresentam-se caídas e é possível percebe-las com pequenos traços escuros entre as
bárbulas. Para verificar se a ave está sendo atacada por ácaros, pegue-a e observe com a sua asa aberta
contra a luz.

Tratamento: Pegue a ave, abra a asa e pulverize uma única vez com inseticida à base de piretina numa
distância de uns 30 cm.


ÁCAROS VERMELHOS


Causas: Parasita Dermanysus gallinae. Este parasitas causam grandes problemas na reprodução são os
chamados piolhos vermelhinhos, só apresentam esta cor vermelha quando estão cheios de sangue, caso
contrário sua cor é pardo-acinzentada.

Sintomas: Estes ácaros ao dia se escondem nas ranhuras dos poleiros, molas das portas e buracos na
parede ou teto, ataca as aves a noite, as aves não param de se bicar tentando tirar os ácaros.

Tratamento: Pulverize poleiros, molas e paredes com um inseticida spray à base de piretina, nas aves
pode-se borrifar inseticida spray SBP, as paredes podem ser pintadas com a cal virgem.


ACARÍASE RESPIRATÓRIA


Causas: Ataque do ácaro Stermostoma tracheaculum, nas vias respiratórias. As exposições, trocas e
compras de aves são as principais causas pela instalação da doença no canaril.

Sintomas: Respiração penosa, ofegante, tosses, plumagem desalinhada, emagrecimento da ave, abertura
do bico sincronizado com os movimentos respiratórios.

Tratamento: Isolar a ave, desinfetar todo o criadouro, aplicar aerosol com antibióticos. Aviobitina na água
de beber. Aplicar o Ivomec em todo o plantel em duas doses com intervalo de 15 dias.


ASMA


Causas: Poeira, friagem, alimentos condimentados, gaiolas sujas, mudanças no clima e mal ventilação do
criadouro.

Sintomas: Respiração difícil acesso asmático freqüente e ofegante. Em casos muito graves imobilidade,
olhos entreabertos, penas soltas respiração acelerada intermitente com emissão de pequenos gemidos.

Tratamento: Eliminar frio, vento, poeira, úmida, colocar a ave em gaiola com temperatura de 30C, na hora
da crise administrar gotas de adrenalina a 1./10.000, antibióticos e tônicos.


BRONQUITE OU TRANQUEITE


Causas: Correntes de ar, aves em local de ar não renovado, bruscas mudanças de temperaturas.

Sintomas: A ave perde o apetite, narinas obstruídas, bico aberto, rouquidão e catarro, a ave não canta e
fica agitada.

Tratamento: Colocar a ave separada numa temperatura de 30C e administrar antibióticos e vitaminas A e D
e aviobitina na água de beber.


COCCIDIOSE


Causas: Alimentos e água contaminados pelas fezes ou saliva de outras aves doentes.

Sintomas: Cansaço, sede contínua, o osso do peito fica saliente, há emagrecimento, fezes aquosas,
desidratação e diarréia. Esta doença não tem cura. Ela atinge principalmente o intestino delgado e os cecos
em especial dos filhotes, provocando hemorragias.

Tratamento: Sulfaquinoxalia, amprolium e a sulfametazina (VETOCOC), administrar junto para evitar a
resistência dos protozoários complexos vitamínicos como vitamina K e Hidrac ou Pedyalit.


CONSTIPAÇÃO OU PRISÃO DE VENTRE


Causas: Falta na variedade dos alimentos fornecidos as aves.

Sintomas: Esforço apresentado pela ave, ao evacuar, acompanhado de movimentos e sacudidelas. Ventre
inchado, fezes duras, cloaca inchada e vermelha.

Tratamento: Pingar na cloaca azeite de oliva duas vezes ao dia, dar-lhes verduras, frutas e vitaminas.


CORIZA


Causas: Bruscas mudanças climáticas, aves em locais úmidos, aves mal alimentadas, falta de vitamina C.

Sintomas: Corrimento nasal, tosse, respiração difícil, mucosa congestionada, falta de vivacidade, anorexia.

Tratamento: Limpar as narinas com cotonete impregnado em solução de permanganato de potássio, com
1./1.000. Administrar antibióticos com penicilina mais estreptomicina, clorofenicol na água de beber,
vitaminas, aviobitina e Neo Sulmetina SM.


DIARRÉIA


Causas: Má alimentação, alimentos azedos, deteriorados e água suja.

Sintomas: Fezes líquidas de cor amarela-esverdeada, falta de apetite e emagrecimento, ânus inflamado.

Tratamento: Corte as penas do traseiro com cuidado e lave com água morna, após enxugue. Administrar
Neo Sulmetina SM, coalhada fresca, se optar pela coalhada não de água, somente a coalhada até a
recuperação da ave.


ENTERITE


Causas: Inflamação dos intestinos, uma das principais causas de morte dos filhotes no ninho.

Sintomas: Diarréia, plumas da cloaca suja pelas fezes, abdômen duro e vermelho e a ave emagrece.

Tratamento: Nitrofurazona, sulfas, vitaminas A e D e eliminar as verduras.


FRATURAS


Quando ocorre de a ave quebrar um osso, a primeira providência é retirar os poleiros e colocar água e
comida a disposição da ave. Será necessário encanar o osso com gesso dissolvido em água ou álcool, que
levará mais ou menos um mês para colar. Se for a perna que quebrou, pegue um canudinho de refresco
cortado ao meio, coloque as duas partes na perna e passe o gesso, deixando uns 45 dias, após retire o
gesso. Se for a asa que quebrou, será necessário cortar todas as penas da asa, dependendo da fratura,
tente encaná-la com gesso.
Caso não consiga, o melhor e mais correto é levar a ave a um veterinário, que esta mais acostumado a
fazer estes serviços.


HEPATITE


Causas: Inflamação do fígado oriundo de excesso de alimentos gordurosos.

Sintomas: Dilatação do baço, sonolência, perda de apetite, tendência para brigas e fezes líquidas.

Tratamento: Alimentação refrescante, com cenouras, verduras e frutas.


PARASITOSE


Externa:

Causas: Falta de higiene nas instalações.

Sintomas: Queda da plumagem, emagrecimento, aparência anêmica, patas brancas.

Tratamento: Fazer a profilaxia das instalações, desinfetar as gaiolas e acessórios com SBP, os ninhos com
puxine em pó ou similar.

Interna:

Causas: Parasitas no estômago e nos intestinos transmitidos por fezes contaminadas.

Sintomas: Emagrecimento, e mortalidade elevada.


PIPOCAS DAS PATAS


Causas: Existência de agentes infecciosos no organismo da ave ou alimentação imprópria.

Sintomas: Aparecimento de pipocas (bolinas brancas) no bico, raramente nas asas e principalmente nas
patas, inchaço e formação de furúnculos e de cortes nas patas.

Tratamento: 5 gotas de Benzitrat no bebedouro, até a cura da doença. Aplicar nas patas afetadas uma
pomada chamada Canesten ou o Thuyá Avícola.


PARATIFOSE


Sintomas: Fulminante, a ave fica num canto da gaiola, asas caídas, penas soltas e respiração ofegante,
morte repentina.

Tratamento: Isolar a ave doente, desinfetar o canário e local com água com soda, administrar sulfas e
antibióticos, clorofenicol e vitaminas.


AGUDA


Sintomas: Ave não canta, não tem vivacidade, se retirando para um canto da gaiola, sede, diarréia
amarela-esverdeada, cloaca suja, respiração ofegante.

Tratamento: Os mesmos citado para paratifose e desinfecção e bactericida.
As aves curadas são portadoras dos germes.


CRÔNICA


Sintomas: Diarréias alternada com constipação intestinal, emagrece rápido, articulações inchadas.

Tratamento: O mesmo referido as outras duas formas. Evitar cruzar as aves curadas por normalmente
transmitirem esterilidade a sua prole ou enterite.


STRESS


Causas: Sustos, barulhos repentinos no criadouro, etc.

Sintomas: A ave fica sonolenta, abatida, assustada devido à inabitação, alimentação imprópria ou excesso
de antibióticos.

Tratamento: Administrar vitaminas, eliminar os barulhos, as causas de fadiga, alimentação insuficiente,
mudanças de temperaturas e excesso de parasitas.


SUOR DAS FÊMEAS


Aparece quando os filhotes ainda não saíram do ninho. A fêmea, bem como os filhotes, apresenta o peito
todo molhado, às vezes o próprio ninho fica úmido.
O suor das fêmeas ocorre devido às diarréias que atacam os filhotes. Estes podem ser provocadas por
doenças como a Salmonelose ou mesmo por problemas alimentares. É bom relembrar, a esse respeito que
os pássaros não têm glândulas sudoríparas.


TAXOPLASMOSE


Doença bastante grave ocorre especialmente nos filhotes e pode ser fatal.
Sintomas: As aves mostram-se tristonhas, fracas e apresentam diarréias, as vezes com sangue, no peito o
externo fica bastante saliente e o fígado também costuma ficar inchado.
Tratamento: Os mesmos aplicada a coccidiose.


TIFO


Causas: Transmitida pelas fezes das aves doentes, pela água e picadas de mosquitos.

Sintomas: Asas caídas, penas soltas e diarréia verde.

Tratamento: Isolar as aves. Administrar antibióticos e desinfetar com bactericidas. Há ainda alguns
criadores que sugerem a eliminação das aves doentes.


VARÍOLA


Causas: Bactéria que se desenvolve na ave num período de 1 a 3 semanas, transmitida por parasitas,
insetos, moscas e pelas aves.

Sintomas: Queda de pequenas plumagens ao redor dos olhos, as vezes as pálpebras engrossam,
furúnculos, partes mais atingidas ápica, bico, faringe e orelha.

Tratamento: Separar a ave, passar desinfetante e bactericida, evitar moscas e insetos fiquem transitando
nas aves sadias. As aves atacadas e curadas ficam imunes a doença.


FUNGOS NAS PATAS


Causas: Contato com as fezes na gaiola.

Sintomas: Cascas nas patas.

Tratamento: Oceral Pomada, utilizada na cura de fungos das patas dos pássaros, os quais devem ser
mantidos isolados dos demais.


PEITO SECO


“Peito Seco”, “Peito Faca” ou “Peito em Quilha” são diferentes denominações populares que
descrevem o quadro de Emaciação ou Caquexia, situação de debilidade relativamente comum entre os
pássaros. Trata-se não de uma doença, mas de um quadro de queda da imunidade do pássaro e
conseqüente instalação de uma infecção crônica. Há diminuição do apetite e do aproveitamento dos
alimentos, o que leva à queda nas reservas de gordura. O pássaro passa então a utilizar a reserva das
proteínas musculares, com atrofia dos músculos peitorais e conseqüente pronunciamento do osso esterno
ou “quilha”, daí a denominação “Peito Seco”.
Várias são as possíveis causas para a ocorrência do “Peito Seco”, como infecções bacterianas,
fúngicas ou parasitárias, além de causas nutricionais e físicas.
Em geral as causas não são únicas, mas há um conjunto delas levando à instalação do quadro.
Também contribuem os fatores ambientais como: manejo inadequado ou estresse a que são submetidos os
pássaros nas trocas de ambiente e transporte, ou ainda nos períodos de reprodução e muda de penas.
Cuidados com a higiene, diminuição das chances de estresse e adequada alimentação são
práticas que ajudam a evitar o surgimento do problema.
avatar
UNIVERSO DOS CANÁRIOS
FUNDADOR
FUNDADOR


Masculino BRASIL
Mensagens : 147
Pontos : 360
Idade : 4
CLUBE : FOB
CIDADE/CITY : BRASIL
ESTADO/PROVÍNCIA : BRASIL

Ver perfil do usuário http://www.universodoscanarios.forumeiros.com https://www.facebook.com/universodoscanarios1 https://twitter.com/UDOSCANARIOS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Botão em Curso Re: DOENÇAS/SINTOMAS E MEDICAMENTOS

Mensagem por ricamol em Ter 16 Jul 2013, 21:43

excelente tópico.


abraço
Ricardo
avatar
ricamol
Membro do Fórum
Membro do Fórum


Masculino BRASIL
Mensagens : 328
Pontos : 363
Idade : 49
CIDADE/CITY : Santo André
ESTADO/PROVÍNCIA : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Botão em Curso Re: DOENÇAS/SINTOMAS E MEDICAMENTOS

Mensagem por osmartalarico em Sab 23 Maio 2015, 21:01

Muito bom o tópico.
avatar
osmartalarico
Membro
Membro


Masculino BRASIL
Mensagens : 53
Pontos : 77
Idade : 26
CIDADE/CITY : Juiz de Fora
ESTADO/PROVÍNCIA : Minas Gerais

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Botão em Curso Re: DOENÇAS/SINTOMAS E MEDICAMENTOS

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum